A minha primeira (mais ou menos) tentativa com madeira

Depois de ter o material todo no mesmo sítio, como é natural, está na hora de começar a fazer alguma coisa. E aqui começam as coisas a aquecer. O que fazer? As ferramentas são poucas, a imaginação é demasiada e a técnica é nula.

Procurei na net, mas sinceramente tudo o que aparecia era, sei lá, pouco apetecível. Muitas vezes por falta das ferramentas básicas, outra vezes porque achava que não tinha ainda o mínimo de competências para tentar.

Mas lá pensei um pouco e pronto. Vou fazer um coiso e tal para por o telemóvel… Assim aproveito o que tenho e vejo como me desenrasco. Um bocado de madeira da lenha, a serra, os formões do AKI, o martelo e a dremel. Vamos lá!

A propósito, esta é a minha Dremel, a série 300 com o acessório para prolongar e executar trabalhos com um pouco mais de precisão.

Óptimo preço numa promoção do AKI, ainda por cima com a oferta de um torno manual.

O conjunto permite fazer trabalhos não só em madeira mas em muitíssimos outros materiais. Não é nenhum cavalo de trabalho, atenção, não convêm abusar dele. É robusto que chegue para coisas pequenas, como trabalhar em pequenos detalhes, segurar peças e componentes de electrónica e assim, mas pouco mais. Não substitui um torno a sério. Mas sinceramente, acho que não é essa a intenção da Dremel ao fazer a sua linha de acessórios. Bricolage!

Comecei com um simples bocado de madeira, não me perguntem se que tipo, pois ainda não cheguei a esse ponto😦

Por acaso esqueci-me de tirar uma fotografia do bloco antes de começar, mas basicamente era igual a este. O que fiz foi bastante simples; cortei à medida que pensei ser a adequada e limpei a madeira para não ficar com bocados que pudesse espetar nas mãos ( ou olhos…). Depois marquei o que queria trabalhar.

Um desenho simples e eficaz. O que pode falhar?

Talvez o facto de estar ansioso por usar a Dremel (e não ter outras ferramentas e ter inventado tudo)! Lá comecei a desgastar o interior do bloco de madeira até ficar completamente desgastado, com uma ligeira concavidade no fundo, para suportar o telemóvel. É claro que foi ficando bastante imperfeito. Para não variar, esqueci-me de ir tirando fotografias do resto do trabalho.

Mas pronto, o que conta é a intenção. Está aqui já o suporte acabado. Depois de ter atingido a profundidade desejada, comecei a lixar todo o bloco, para ficar suave ao toque e poder receber o acabamento.

No fundo tentei abrir um pequeno orifício para colocar o cabo do carregador / cabo de dados, mas como só fui medir a ficha mini usb no fim, descobri que esta era muito comprida, e que ficava mal. Se deixa-se a ficha colocada, o telemóvel baloiçava e o suporte não se mantinha em pé. Por isso, o buraco ficou sem utilidade.

Depois de lixado (comecei com papel de lixa 80 e depois passei para um 120), apliquei uma capa de óleo de linhaça, para deixar a madeira um pouco mais escura.

Depois de secar, apliquei duas capas de verniz (lixando entre cada capa) e ficou pronto.

Não é nenhuma obra de arte, mas fiquei contente. Pelo menos já tenho um sítio para colocar o telemóvel🙂

Para a próxima, já sei que erros evitar.

1º – Planear bem e medir duas vezes antes de cortar;

2º – Escolher melhor as ferramentas de trabalho.

Já agora, estava a tentar qualquer coisa como isto:

Eu sei… TOTAL FAIL!

Esta entrada foi publicada em Suporte telemóvel, Trabalhos em madeira. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s