Adaptador de corrente para Arduino – 1ª parte

Mal comecei a brincar com o Arduino, umas das primeiras coisas que me chamou a atenção foi a alimentação do mesmo. Não, não quero dizer quantas vezes por dia lhe tinha que dar ração ou coisa do parecido. Era mais do género “Vou ter que andar sempre com o computador ligado e arrastá-lo para todo o lado?”

Típico meu.

Já agora, e isto não tem nada a ver com o assunto, mas encontrei esta imagem num blogue com um texto muito interessante sobre Tolice. Li e fiquei contente de ter encontrado a imagem. Conduziu-me a esta prosa onde se fala da tolice humana. É um blogue sobre Teologia e como é natural, não vou resumir aqui nem expor as minhas ideias sobre o assunto, pois não é o tema. Passem por lá, é muito agradável de ler e é uma óptima reflexão. Blog do Jonas Madureira.

Voltando ao tema; Já tinha lido em vários sites, incluindo no site do Arduino que a placa podia receber a energia através do cabo USB ou através de um transformador, mas em relação ao transformador e à voltagem e amperagem só ficava com dúvidas. Partia do princípio que um transformador devia ter uma voltagem igual à transferida pelo cabo, mas e a amperagem? E podia ser mais, menos???

Bom, finalmente encontrei a resposta. Uma delas, para não variar, mesmo debaixo do meu nariz; no Arduino Playground.

Neste post, e com o sugestivo título “Arduino: What adapter?“, a resposta é simples e bem explicada. Para quem não souber Inglês, ou tiver alguma dificuldade basta colocar o “Google translate” em acção.

Deixo aqui uma breve explicação, adaptada, claro está.

Os requisitos mínimos para uma operação sem falhas passará por uma fonte de alimentação externa, ou seja, um transformador de 9 a 12 Volts com uma amperagem mínima de 250 mA.

A ficha devera ser uma standard de 2,5 mm, no qual o positivo esteja no centro e o negativo fora.

Esta primeira imagem é a utilizada no post original, uma vez que não tinha cá em casa nenhum transformador que pudesse utilizar como referência. Apesar de estar em Inglês, os símbolos e valores que nos interessam respeitam normas internacionais que Portugal também subscreve, pelo que serve na perfeição.

A 1ª informação que poderemos ver na imagem é a polaridade da ficha. A ficha que liga o transformador ao Arduino é constituída por:

Temos de respeitar a polaridade, ou seja, os contactos devem possuir a garga positiva ou negativa conforme as especificações do fabricante do dispositivo que queremos usar. No caso do Arduino é:

Contacto negativo – Contacto externo; Contacto positivo – Contacto interno.


Ok. Seguinte; INPUT e OUTPUT. Se repararem na imagem, o Input do transformador em causa é de 120VAC 60H 10w. O que é o INPUT?

INPUT é basicamente o valor da voltagem que o transformador pode e vai receber. Nos Estados Unidos (caso da imagem), a voltagem da electricidade doméstica é de 110 / 120V AC, a 60Hz. Em Portugal é de 230V AC, a 50 Hz. AC significa “Alternating current“, ou seja, corrente alterna.

Portanto, aqui deverão ter em atenção a esta informação. O INPUT deve ser então 230VAC 60Hz.

E o OUTPUT?

O OUTPUT é o valor da voltagem que o transformador vai enviar ao equipamento. Neste caso 12VDC 500mA. 12 Volts em corrente contínua e 500 miliamperes.

Esta entrada foi publicada em Arduino, Electrónica, Electricidade. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s