Todo o tempo do mundo

Quando ficamos desempregados o tempo altera-se. Talvez seja isto que Einstein queria dizer quando falava da teoria da relatividade. Dizia ele que o tempo, ou melhor, a maneira como nos apercebíamos da passagem do tempo era diferente. E deu o exemplo do rapaz apaixonado com a sua namorada e do rapaz que se sentava num fogão ligado; o primeiro sentia que o tempo não passava, e que os minutos pareciam transformar-se em horas. O segundo, que os segundos pareciam horas e que não podia aguentar a dor do fogo no traseiro.

Estar empregado e desempregado é um pouco o mesmo, dependendo se gostamos ou não do nosso trabalho. Antes o tempo passava num instante, agora os dias são longos.

É como tudo…

Esta entrada foi publicada em Desemprego com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s